domingo, 22 de fevereiro de 2009

Lágrimas de Crocodilo

Acreditei em teu choro, enxuguei as tuas lágrimas.
E agora choro, coitadinha de mim.
Te esperei na avenida, segurei o meu beijo.
Não segurei nenhuma mão e nem mijei no mar.
Mijei em teu instinto, cansei de te amar.
Jogo uma granada no passado e todas as gramas de rancor
em mim estão, quilômetros de mal-estar.
Uma avenida de palavras que não poderiam ter sido ouvidas,
usadas, suadas, expelidas.
Só sinto profundamente.
Melodia em fá menor.

Um comentário:

Ana Luíza Cattabriga disse...

Jesus, Maria, José.

Suposições minhas.

Adoro você trem véi.