quinta-feira, 15 de abril de 2010

Traiu


Por que você quer me beijar?
Se já tem lábios para amar, viajantes da alma?
Que arrepiam os pelos da pele suada,
ofegando o ar quente, quase molhado, as gramas da primavera?

Ah... Primavera...
Já pensou se ela soubesse deste nosso segredo?

Por que quer me olhar?
Se já tem olhos de Hórus?
Intactos a te desejar?
A mais desejada, cerne das atenções e das alternativas:
És a escolhida!

Por que quer dançar comigo?
Já que possui a mais linda bailarina?
Que levita sobre o cimento, polido, antiderrapante?
Da conturbante e agradável vida.
Para que ela nunca possa cair (mesmo que tenha frieira e calos doloridos).

Não sei, mas, com certeza você me atraiu...
E traiu!

Sem “querer”, eu também traí, atraída por sua essência e particularidades.
Não de pele, ou de carne, muito menos de afinidade...
De laços, de cachos, coloridos e encantados
Foi assim: não foi insano.

Não foi engano.
Quando te beijei
Perto de sua bailarina
Que eu também amava.



Larianne Rocha

4 comentários:

Larianne Rocha disse...

História real, de uma amiga.

Raquel disse...

com toda a ousadia de mudar o ritmo de sua poesia, minha querida!

Larianne Rocha disse...

é ... vc colocou umas perguntinas onde eram respostas, mas tudo bem...se foi assim que entedenteu rsrsrssr...

A Insustentável leveza do Ser disse...

Lindo texto flor.. Intenso,expressa uma sensibilidade inebriante.