domingo, 24 de maio de 2009

Ah! Bruta flor do querer

Se eu sei o que quero?
Se eu sei o que quero com você?
Se sei?
Não exatamente...
Sei que quero ser como todos os mortais: os estudantes de cursinho, os cobradores de ônibus, jornalistas ou funcionários públicos.
Ao sair do trabalho, quero te ligar ainda descendo as escadas, ofegante, respirando paixão e saudade.
No caminho de casa, ouvir qualquer música e ter certeza que é a nossa música.
Quero que ilumine os meus sábados e domingos com a sua presença e programação.
Na pior das hipóteses, ir à missa. Você já me disse que acha que me faria bem.
Quero dormir abraçada contigo e acordar mais abraçada ainda.
Sentir meu braço adormecido por ser sua almofada, me incomodar, mas não abrir mão de sentir o seu cheiro assim tão perto.
Numa mesa de bar com vários amigos, conversando besteiras e rindo, quero saber que do outro lado da cidade tem alguém, que independente de onde eu esteja, vai estar lá. E que sempre que eu pensar, vou sentir um friozinho por dentro, sabendo que mesmo distante estarei na sua presença.
Na padaria, no carro ou no meio da rua, quero ter uma vontade violenta de te beijar. E te beijar, assim que possível for.
Acho que sei o que quero.
Você.

3 comentários:

Saliha Rachid disse...

Tá apaixonada heim? Coisa boa. Lindo texto.

Bjossss

FEx disse...

ae vc superou as palavras dadas.fez da verdade poesia. ADOREI.

sua escrita tá com outro ritmo.. e muito mais fluidez. bju bju


FE

Renata Reis disse...

a imagem, se não me engano, é a "maria cheia de graça".

estaria ela rezando por esse alguém que tanto quer?

bjs.